A Metafísica do Atraso

Depois que a filosofia alemã, formalizada por Nietzsche e interpretada por Heidegger, foi reconhecida como o Fim da metafísica da Europa Ocidental, a localização seyns geschichtliche da “grande meia-noite” foi teoricamente cumprida. Mas isso significa que foi alcançado? Essa questão, em que a incerteza e as oscilações se revelam conscientemente, explica de muitas maneiras os paradoxos dos laços da Revolução Conservadora com a história do Terceiro Reich.

A publicação no Chile do livro "Teoria do mundo multipolar"

A unipolaridade, por sua vez, substituiu em 1991 um mundo bipolar baseado na competição entre dois sistemas mundiais: o capitalista e o socialista.
Depois da queda do bloco oriental e da ideologia comunista correspondente, o mundo ficou com um único pólo, o ocidental, e com uma única ideologia, o liberalismo. E também com um único modelo econômico: o capitalismo. Um pólo foi subtraído do sistema bipolar e o pólo restante tornou-se global.

Sobre o Realismo Especulativo

Tenho que admitir que não interpretei o realismo especulativo de forma totalmente correta, começando com Quentin Meillassoux. Parecia-me como se em sua defesa do novo materialismo, sua luta do sujeito contra o sujeito, sua apologia da eventualidade, a proposta no âmbito da filosofia da Revolução Copernicana de deslocar o sujeito de sua posição central e de relocalizar para a periferia, que há algo arcaico em tudo isso, reminiscente do materialismo do século 19, do positivismo acrítico, até mesmo por sua crítica a Deleuze, a quem acusou de seus vários “vitalismos”.

O Logos Tridimensional

O plano ontológico da imagem moderna do mundo
A estrutura moderna do conhecimento, cujos princípios foram estabelecidos no início da Modernidade, está voltada para uma rejeição consistente da hierarquia.Isso é mais claramente visto no nominalismo, que derruba a taxonomia ontológica que remonta a Aristóteles (indivíduo, espécie, gênero - individuum, espécie, gênero), em favor de uma equalização plana entre si de todas as coisas tomadas sob o modus hicceitas, “thisness”(Duns Scott).

Jean Thiriart e a Rússia: o território livre da Europa

O ano de 2022 marcará o centenário do nascimento e o 30º aniversário da morte de Jean Thiriart (1922-1992), um “geopolítico militante” de que a revista Eurasia tratou em diversas ocasiões, colocando à disposição do público italiano numerosos artigos publicados por ele em reportagens jornalísticas, que agora são praticamente impossíveis de se encontrar.

A Doutrina Tradicional dos Elementos (Lição II): Continuidade e Descontinuidade dos Elementos

A  relação entre continuidade e descontinuidade
O problema central da filosofia da ciência é a relação entre continuidade e descontinuidade. É possível solucionar esse problema da relação justa entre continuidade e descontinuidade se conseguirmos situar ambas em suas posições corretas do ponto de vista da aletologia. Com isso, poderíamos resolver muitos problemas filosóficos, linguísticos e científicos.

O Populismo e a Superação da Divisão Direita-Esquerda - Alain de Benoist

 
Falarei rapidamente sobre o fenômeno populista. Durante os últimos 10 a 20 anos vimos como em diferentes países europeus, e mesmo fora da Europa, um novo fenômeno tem se desenvolvido, que temos chamado de populismo. Um rótulo bastante polêmico e pejorativo, mas uma categoria totalmente válida do ponto de vista da ciência política.

Contra a Pseudo-Religião do Petróleo e do Gás e o Capitalismo Verde

E por que estamos felizes com este aumento no preço do gás? Claro, é patriótico e nobre estar do lado de seu país. Mas o país – suas autoridades e elites – deve ter um significado, deve haver uma ideia, uma ética e uma estética, deve haver a Verdade. Um país de petróleo ou gás com petrodólares e rublos de gás – com as faces cinzentas dos funcionários da Gazprom como um exemplo do que significa “a vida é boa” – isto não é muito atraente. É até mesmo humilhante. É maravilhoso quando nos alegramos na cruz, na vitória, no trabalho engenhoso, com famílias felizes e sangue sadio e leite para as crianças. Mas o assobio do ar sulfúrico no gasoduto, que será queimado e jogado na atmosfera por cidadãos europeus e migrantes – não, não pode ser objeto de orgulho nacional. Não deve ser.

A Nova Doutrina de Putin

Putin sempre foi muito pragmático e realista, e por isso se manteve o mais distante possível de qualquer tipo de conflito ideológico. Seu governo tem se caracterizado pela ausência de diretrizes claras e, em vez disso, tem se distanciado deste tipo de discussão. Na verdade, a pura ambiguidade da Rússia Unida tem muito a ver com este tipo de distanciamento, pois as ideias foram substituídas por buracos negros.

Quando a Sexta Coluna Russa será Destruída?

Vocês provavelmente já notaram que na Rússia a campanha contra a quinta coluna liberal está gradualmente ganhando força. Isto está relacionado com a consolidação do status de agentes estrangeiros para vários veículos de mídia e figuras individuais. Cada vez mais, as autoridades estão recorrendo a uma classificação completamente justificada de uma série de grupos liberais e pró-ocidentais que estão agindo ativamente a fim de desestabilizar a sociedade como extremismo. O que durante décadas se safou com Navalny, Roman Dobrokhotov e outras figuras radicais anti-Estado está finalmente começando a se qualificar adequadamente. Como crime. Trabalhar para o colapso de seu país no interesse das potências inimigas é, naturalmente, um crime. Em todos os sentidos. E deve ser seguido de punição.

As alianças anti-globalistas de direita-esquerda são os grandes oponentes do liberalismo 2.0

Aproxima-se o momento da substituição definitiva do indivíduo pela entidade de gênero opcional, uma espécie de identidade em rede. E a etapa final será substituir a humanidade por seres assustadores: máquinas, quimeras, robôs, inteligência artificial e outras espécies de engenharia genética. A linha divisória entre o que ainda é humano e o que já é pós-humano é o principal problema da mudança de paradigma do liberalismo 1.0 para o liberalismo 2.0. Trump foi um individualista humano que defendeu o individualismo no velho estilo do contexto humano. Talvez tenha sido o último de sua espécie. Biden é um representante da chegada da pós-humanidade.

A democracia não precisa de partidos políticos

O problema de celebrar eleições democráticas na Rússia onde a ideia de democracia representativa e, especialmente, a democracia representativa baseada em partidos políticos, é que ela é completamente alheia à cultura e à tradição política russa. Por outro lado, a democracia direta do zemstvo¹, ou seja, a eleição dos chefes das aldeias e, antes do cisma, dos párocos, têm uma longa trajetória na Rússia. Durante os períodos mais conturbados – como no final da Época da Instabilidade² – foi o povo quem elegeu o tzar e fundou uma nova dinastia. E antes disso, o povo havia tomado a decisão de criar milícias populares, especialmente com a formação do segundo exército popular, o qual salvou o país. Não obstante, os russos jamais criaram partidos políticos e só elegeram pessoas que consideravam como amigos nas quais confiavam. Então, eles elegiam pessoas em particular e não grupos. A tradição russa baseava-se nas relações pessoais, e são esses personagens que fazem política. O povo deseja compreender, conhecer e confiar em pessoas particulares, ainda que seja para odiá-las, depreciá-las e castigá-las.De todos os modos, sempre se trata de seres humanos particulares, já que nossa concepção de mundo é profundamente humana. O mesmo acontece com a política.

O Google deve ser destruído

Hoje vamos falar sobre o Google. Estamos na véspera de um evento muito importante: a ação judicial do canal de TV Tsargrad contra o Google por remover seu canal do YouTube parece ter um resultado positivo. Um tribunal russo confirmou as reivindicações do Tsargrad contra a empresa. Enquanto isso, o governo emitiu uma série de decretos ordenando que os meios de comunicação estrangeiros devem cumprir a lei russa ao conduzir suas atividades dentro de nosso país. Portanto, se o Google continuar a operar na Rússia, isso significa que será controlado pelo Estado. Isto não só significa que o Google terá que restaurar a conta do canal Tsargrad com um milhão de assinantes e compensar os danos materiais causados, mas também restaurar meu canal educacional, assim como as contas de Katehon, Geopolitica.ru e todos aqueles canais que os globalistas, encorajados pelo fato de desfrutarem de total impunidade, fecham sem aviso prévio.

Francis Fukuyama admitiu: A Unipolaridade entrou em Colapso

Fukuyama no início dos anos 90 estava claramente com pressa para declarar a vitória mundial do liberalismo e o fim da história. Mais tarde, ele corrigiu sua posição. Em algumas conversas pessoais com ele, fiquei convencido de que ele compreende muitos processos mundiais de forma bastante realista e é capaz de admitir erros em suas previsões – uma característica rara entre os cientistas políticos narcisistas que cometem erros todos os dias e isso só os torna ainda mais arrogantes.

Nós Vamos Curá-lo com Veneno (Ensaio sobre a Serpente)

A tradição é uma antítese ao cartesianismo. Lógica formal - foi aí que a Estrela da Manhã começou a subversão de nosso mundo majestoso e sacro. Tal lógica nos leva a procurar uma alternativa para a serpente. Se a serpente é má, então a não serpente é boa. Mas isto é uma armadilha: o pensamento categórico é antiontológico, ele opera com abstrações racionais. Nenhum não serpente é capaz de derrotar a serpente. Podemos colocar isto de outra forma: Somente uma serpente pode enfrentar outra serpente. Basta lembrar: "Sê sábio como a serpente" (Mateus, 10:16). A serpente de cobre, cuja imagem foi erguida no deserto por Moisés, é considerada como um protótipo do Redentor. A serpente sobre uma cruz decora os templos ortodoxos. A serpente enfrenta a serpente - corpo flexível, sem sangue contra seu duplo escuro. A serpente é um símbolo tanto do princípio masculino quanto do princípio feminino. Uma antiga lenda diz que Alexandre, o Grande, nasceu de uma serpente. E na tradição chinesa um dragão amarelo é considerado como um símbolo do Logos celestial.

O Sujeito Radical de Aleksandr Dugin

Mito grego e pós-nietzscheanismo, imagens órficas e literatura russa, visões apocalípticas, Hegel, hiperbóreos, Aristóteles, Ortodoxia, Niccolò Cusano, Massimo Cacciari, Evola, xamanismo pré-socrático, alquimia, Heidegger e muito mais numa visão de humanidade única e orgânica e, ao mesmo tempo, projetada para um futuro próximo. Como isso é possível? Como podemos manter juntos espaços tão vastos de pensamento, mito e meditação? Como podemos voltar a uma filosofia do Homem e do Cosmos após a "morte da filosofia" pós-Heidegger e a sua desarticulação em mil riachos paracientíficos e setorizados: filosofia da ciência, filosofia da linguagem, filosofia sociológica e assim por diante? Com Aleksander Dugin estamos testemunhando este prodígio histórico sem precedentes: o retorno da grande filosofia, ou seja, da filosofia em seu coração mais universal, cósmico e perene: filosofia como pensamento sobre a totalidade, sobre a origem e como meditação supratemporal.

Adeus, Angela Merkel!

Putin sempre teve uma certa simpatia pela Alemanha. Esta é sua experiência pessoal, seu conhecimento do país e do idioma, e sua orientação geopolítica para a construção de uma Grande Europa – de Vladivostok a Dublin – onde a Alemanha é objetivamente chamada a desempenhar o papel principal. A Alemanha é o coração da economia soberana da Europa, assim como a França no mundo do pós-guerra – especialmente sob De Gaulle – tem sido tradicionalmente o coração da política soberana. A aliança franco-alemã tornou-se a base para uma Europa unida. Inicialmente, isso foi planejado de forma muito diferente do que acabou sendo: ela a Europa deveria se tornar um polo independente de um mundo multipolar, independente de nós (Rússia, ed.) e dos Estados Unidos, mantendo ao mesmo tempo laços amigáveis com ambos. Durante os

A Doutrina Tradicional dos Elementos (Lição I): A Restauração dos Fundamentos Filosóficos da Ciência

A ideia geral do Clube dos Elementos era de retornar a um momento em que os erros mais graves foram cometidos no desenvolvimento da ciência moderna ocidental. A aplicação dos princípiosdo tradicionalismo, identificados e desenvolvidos por Guénon e Evola. Mas ir além. Continuar seu trabalho, não concentrando apenas na crítica evidente da modernidade, mas tentar retornar à situação intelectual, filosófica e científica que correspondia a uma normalidade intelectual e cultural. Não apenas criticar o que há hoje, mas tentar fazer algo de mais concreto. 

Afeganistão: uma linha do tempo geopolítica

O Afeganistão, ao longo das últimas décadas, tem sido um espelho bastante claro das vicissitudes da geopolítica mundial. Se nos anos 80 a saída das tropas soviéticas do Afeganistão foi uma imagem do declínio da ordem bipolar e o surgimento de uma nova ordem unipolar centrada nos EUA, a atual saída das tropas estadunidenses desse país representa o naufrágio da ordem unipolar e o iminente surgimento de um novo cenário.

Páginas