Russia

Sanções econômicas contra a Rússia vão aumentar a fome global

04.06.2022

Em uma clara inversão de responsabilidades, os Estados Unidos e seus aliados fazem alarde sobre uma iminente catástrofe de alimentos provocada pela guerra na Ucrânia e tentam jogar a culpa sobre a Rússia, que estaria impedindo as exportações ucranianas de grãos ao bloquear os portos daquele país no Mar Negro. É mais uma forma de propaganda anti-Rússia com o objetivo de aumentar o seu isolamento e jogar todos os problemas criados pela guerra nas costas de Putin. A realidade, entretanto, é mais complexa e, como em tudo nessa guerra, é possível ver a mão dos Estados Unidos por trás de mais essa catástrofe.

A Questão Polonesa: Partição da Ucrânia?

27.05.2022

A intensificação do papel da Polônia no conflito agrava o grau da guerra entre a Rússia e o Ocidente, civilização contra civilização. Teoricamente, existem duas soluções: concordar em dividir a Ucrânia, tentando tomar para si o máximo possível e permitir que a Polônia aja por conta própria e não em nome da OTAN; ou seguir até o fim sob o risco de o confronto chegar ao nível nuclear.”

Ucrânia à beira de um colapso por dívidas

24.05.2022

Uma das maiores agências globais de análise de risco, a Moody’s Corporation, divulgou recentemente um relatório no qual rebaixou a pontuação de crédito da Ucrânia de Caa2 para Caa3, que corresponde a “ruim” ou “alto risco”. Ao mesmo tempo, a perspectiva da agência sobre a situação do crédito na Ucrânia passou de “em revisão” para “negativa”, com expectativas de deterioração significativa no curto prazo.

Armas enviadas pelos EUA para a Ucrânia estariam entrando no mercado negro

23.05.2022

À medida que os EUA enviam sistematicamente armas para a Ucrânia, crescem as preocupações sobre quem está realmente recebendo esse equipamento. Recentemente, uma série de reportagens foi feita por jornalistas, apontando que o material enviado por Washington possivelmente estaria entrando no mercado negro, o que seria uma repetição da experiência americana no Afeganistão e na Síria. O caso é muito grave e reitera a importância de exigir o fim do envio de armas para Kiev.